Segunda semana de apresentações da MOPI Teatro será marcada por espetáculos com temas de seca, o futuro após o fim e a figura da mãe

Apresentações acontecem nos dias 18 e 19, nas sedes de dois grupos e no Teatro do Dragão do Mar

A Mostra de Artes do Porto Iracema, ou simplesmente MOPI, é um dos principais acontecimentos anuais da Escola. É o evento que marca o encerramento das atividades letivas do Porto e, também, a apresentação dos resultados do que foi desenvolvido ao longo do ano. Dentro da programação está a MOPI Teatro, que no dia 11 teve as apresentações do projetos “Boca Amordaçada”, do Grupo Teatro de Caretas, e “Expresso Sonho Azul”, do Manada de Teatro. Nos dias 18 e 19, será a vez dos grupos Pavilhão da Magnólia e Bagaceira apresentarem seus projetos, respectivamente “Dramaturgias da Água e da Seca” e “Inventário para poéticas futuras”. Além desses dois projetos, serão apresentadas, no dia 19, duas peças curtas produzidas pelos alunos do Curso Básico de Artes Cênicas.

Dramaturgias da Água e da Seca

Abrindo a segunda semana da MOPI Teatro, no dia 18, o Pavilhão da Magnólia parte da obra clássica “O Quinze”, da escritora Rachel de Queiroz, para tratar da fragilidade humana e da força poética do sertão no espetáculo “Dramaturgias da Água e da Seca”. A tutoria do projeto ficou por conta de Miguel Velhinho e o palco para o grupo será a sede do próprio grupo, a Casa Absurda. A apresentação inicia também às 19h.

Alexandre Dal Farra, tutor do projeto Inventários para poéticas futuras

E no dia 19, o Grupo Bagaceira, motivado pela possibilidade de o coletivo acabar, após 18 anos de atuação, leva ao público uma discussão sobre a ressignificação do fim com a peça “Inventário para poéticas futuras”. O grupo abordará a ideia da morte no palco, ao mesmo tempo em que estabelece um paralelo com o caos político do país, renovando a energia criativa e a existência do grupo. O projeto teve a tutoria de Alexandre Dal Farra. O local da apresentação que inicia às 19h será a Casa da Esquina, sede do Bagaceira.

PREAMAR DE ARTES CÊNICAS

Os alunos do Curso Básico de Artes Cênicas não ficarão de fora. Durante o segundo semestre de 2018, dentro do Programa Preamar, eles produziram duas peças curtas, de aproximadamente 30 minutos cada. “A Mamãe Aqui” e “Mar Lúcia” trazem a mãe como figura central, em consonância com o tema “Poéticas do Feminino”, que norteou os trabalhos do Porto durante todo o ano. Os três trabalhos serão apresentados na mesma noite, no dia 19, a partir das 19h, no Teatro Dragão do Mar, encerrando a MOPI Teatro.

A Mamãe Aqui conta a história da feirante Tiaga que sonha ser prefeita de Capistrina para poder usar o carro oficial. Já Mar Lúcia, por sua vez, retrata uma família humilde composta por uma mãe que cria sozinha três filhos em idades escolares.

SERVIÇO
MOPI TEATRO – Segunda semana

O que: “Dramaturgias da Água e da Seca”, com Grupo Pavilhão da Magnólia
Quando: Terça-feira, 18 de dezembro, às 19h
Onde: Casa Absurda (R. Isac Meyer, n 108 – Aldeota)
GRATUITO

O que: “Inventário para poéticas futuras”, com Grupo Bagaceira
Quando: Quarta-feira, 19 de dezembro, às 19h
Onde: Casa da Esquina (R. João Lobo Filho, 62 – Bairro de Fátima)
GRATUITO

O que: Preamar de Artes Cênicas – Estreia de “A Mamãe Aqui” e “Mar Lúcia”
Quando: Quarta-feira, 19 de dezembro, às 19h
Onde: Teatro Dragão do Mar (R. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
GRATUITO

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Myke Guilherme
Publicado em: 13/12/2018