Porto Iracema das Artes realiza oficina “Arte Indígena: Diversidade de Linguagens”

Atividade, gratuita e aberta ao público, ocorre na quinta-feira, 19 de maio. São ofertadas 10 vagas para o público externo, com prioridade para pessoas indígenas 

Na quinta-feira, 19 de maio, das 14h às 17h, a Escola Porto Iracema das Artes — instituição da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult) gerida pelo Instituto Dragão do Mar (IDM) realiza a oficina “Arte Indígena: Diversidade de Linguagens”, no Ateliê da Escola, com os artistas indígenas Merremmii Karão Jaguaribaras, Junior Potyguara e Byya Kanindé, participantes da 9ª edição da temporada formativa do Laboratório de Artes Visuais.

A proposta do encontro é trazer ao debate a diversidade existente dentro da Arte Indígena, com a intenção de pautar a importância e particularidade de cada fazer artístico. As inscrições podem ser feitas até segunda-feira, 16 de maio, por meio de formulário eletrônico disponível AQUI.

“Debater a arte é muito importante para fortalecer a luta indígena, destacando como a arte está presente no dia a dia da Aldeia e o significado que carrega cada desenho e pintura, buscando repassar a cura que os desenhos vão ter ao ser tocados no seu corpo. Ter a participação do público contribui na construção de um momento frutífero e para que as pessoas tenham uma visão de como as pinturas fortalecem a alma” explica Byya Kanindé, convidando pessoas interessadas a participar.

O público da oficina será composto pelos artistas da Temporada Formativa, e além disso serão abertas 10 vagas para o público externo, por ordem de inscrição e prioridade para pessoas indígenas.

SOBRE MERREMII KARÃO JAGUARIBARAS

Militante indígena, agricultora, ambientalista, poetisa, artista visual. Graduanda em Sociologia na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab-Ce). Na arte, preserva e promove saberes em diversas linguagens.

SOBRE JUNIOR POTYGUARA

Indígena e natural da Serra das Matas, em Monsenhor Tabosa (CE), e residente na aldeia Vila Nova (zona urbana), periferia Alto da Boa Vista. Sou artista visual, utilizando técnica de desenhos coloridos com inspirações do sagrado e sentimentos livres esporádicos. Faço parte de um coletivo de artistas indígenas do Ceará (Tamain), onde expomos nossas lutas por meio da arte, retomada e protestos.

SOBRE BYYA KANINDÉ

Indígena do Povo Kanindé de Aratuba (CE), zona rural, sempre morei na Aldeia. Ex-estudante da Escola Manoel Francisco dos Santos, estudante de Hotelaria no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) de Baturité, sou membra dos grupos de jovens indígenas do estado do Ceará “Tamain, JIC” (Juventude indígena conectada), monitora do Museu Kanindé, artista visual, faço meus registros desde os 14 anos.

SOBRE A ESCOLA

A Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, instituição da Secretaria da Cultura (Secult) gerida pelo Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há oito anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO

O quê: Porto Iracema das Artes realiza oficina “Arte Indígena: Diversidade de Linguagens”. Inscrições abertas por meio de formulário disponível AQUI

Quando: 19 de maio, quinta-feira, das 14h às 17h

Onde: Ateliê da Porto Iracema das Artes (R. Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema)

Gratuito e aberto ao público

 

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Texto: Gabriela Moraes (estagiária) com supervisão e edição de Marina Solon (jornalista)| Publicado em 13 de maio de 2022.