Porto Iracema realiza live com artistas da 72ª edição do Salão de Abril

Artistas do Laboratórios de Artes Visuais participam de bate-papo virtual na próxima quinta-feira (07) no canal do Youtube da Porto

Nesta quinta-feira, 07 de Abril, artistas que estiveram na 72ª edição do Salão de Abril participam de Live, a partir das 19h, no canal do Youtube da Porto Iracema, para debater artes visuais e processos criativos. Os proponentes integraram a 7ª Edição das Temporadas Formativa e Investigativa do Laboratório de Artes Visuais da Escola Porto Iracema das Artes — instituição da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult) gerida pelo Instituto Dragão do Mar (IDM). Na ocasião será debatido um minidocumentário composto por relatos das produções, disponível antecipadamente para o público AQUI.

A 72ª edição do Salão de Abril, realizada no período de 3 de agosto a 16 de setembro de 2021, na Casa do Barão de Camocim, contou com a participação de diversos artistas que passaram pelos Laboratórios de Criação. Entre os artistas estão MDiasPreto, Lívio, Victor Cavalcante, Núbia Agustinha, Jefferson Santos, David Felício e Jorge Silvestre, Eliana Amorim, Maria Macêdo e Charles Lessa, além da curadora Ana Cecília Soares que já esteve em duas edições do Lab Artes Visuais.

Coordenadora do Laboratório de Artes Visuais, Aline Albuquerque destaca a transmissão ao vivo como desdobramento da exposição do Salão de Abril. “Parte da ideia que uma exposição não se encerra em si mesma, mas que a gente pode desdobrá-la em conversas e com a memória”. Para ela, o momento é uma forma de reativar os trabalhos e os discursos das produções artísticas.

Com 78 anos de existência e 72 edições, O Salão de Abril tem se configurado como um eixo fundamental de fomento e divulgação das artes visuais do Ceará. Na edição de 2021, homenageou o artista sobralense Raimundo Cela.

SOBRE OS ARTISTAS

Ana Cecília Soares: Vive em Fortaleza, é curadora, jornalista, pesquisadora e editora da Revista Reticências. Mestre em Artes pelo PPGARTES/ ICA da Universidade Federal do Ceará. Doutoranda em Artes Plásticas, Visuais e Interartes pelo PPGARTES/ EBA da Universidade Federal de Minas Gerais. Dentre as exposições realizadas, destaca-se o trabalho como assistente de curadoria da coletiva “Carneiro” (2014), no Museu de Arte Contemporânea do Centro Cultural Dragão do Mar; e a curadoria de “Interstícios” (2015), nesta mesma instituição. Foi uma das curadoras da mostra “Que vai chover amanhã!” (2019), realizada no Sobrado Dr. José Lourenço. É uma das organizadoras do livro “O silêncio das coisas: Herbert Rolim”, o primeiro da “Coleção Arte Ceará”, de qual é uma das coordenadoras. Atualmente, dedica-se a pesquisar a história da arte brasileira com foco no projeto Museu das Origens do crítico Mário Pedrosa.

Victor Cavalcante

Victor Cavalcante é artista visual e designer. Estudante do curso de Licenciatura em Artes Visuais do IFCE e integrante dos coletivos Ateliê Migratório e Dê-Mão. Trabalha com experimentações em performance, pintura, desenho, bordado, fotografia, arte urbana, audiovisual e teatro. Pesquisa a sua relação com masculinidades, afetos, sentimentos, ativismo e política.

Núbia Agustinha

Artista/professora/pesquisadora. Graduada em Artes Visuais pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – (IFCE) e Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Teve formação inicial em Artes Visuais pelos cursos livres do Instituto Dragão do Mar de Arte e Indústria Audiovisual do Ceará. No campo das Artes Visuais, atua com gravura no campo expandido, instalação e performance.

Matheus Dias / MDIAS PRETO

Artista visual que trabalha com fotografia, vídeo, colagem e design gráfico. Busca tensionar questões de raça, corpo, gênero e LGBTQI+. Atualmente permeia entre si e seu heterônimo MDias Preto, artista contemporâneo que trabalha mais com a arte expandida, utilizando as cores como meio de criação de um universo paralelo.

Lívio

Artista insurgente no Cariri, Lívio do Sertão transita entre mundos dis/u/t(r)óp[t]icos, enquanto lê Geraldo Urano sob juazeiros, barrigudas e cafés que se derramam Chapada abaixo. Bebe das águas sagradas da Batateira pra dar miolo a suas invencionices poético visuais. Como romeiro que é, segue caminhando em busca de novas graças e agradecendo as adquiridas.

Jefferson Santos / (Madalena/CE)

Artista da performance arte, besha-negrx-periféricx-sertanejx artivista, críticx e pesquisadorx da política e do social, sua poética resiste à meritocracia brasileira no alcance dos encalços da macropolítica vigente. Sua arte se concentra na micropolítica e no seu potencial propulsor de mudanças/provocações sociais, bem como se utiliza do site specific como ferramenta articuladora com a performance arte.

David Felício

David Felício é professor de história na rede estadual de ensino e artista visual.

Jorge Silvestre

Arte-educador, artista visual e diretor de fotografia. Graduando em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal do Ceará e integrante da 5ª turma do Curso de Realização em Audiovisual (curso de extensão) da Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes(2019 – 2021)

Eliana Amorim

Nascida em Exu, Pernambuco, no ano de 1996. Vive na região metropolitana do Cariri Cearense. Retirante. Artista visual, pesquisadora, arte-educadora e produtora cultural. É licenciada em Artes Visuais pelo Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri- URCA. É Co-líder do Grupo de Pesquisa NZINGA: Novos Ziriguindus (Inter)Nacionais. Atua no Coletivo Artivista Kretas com Prekito, é produtora do projeto musical Cantando Marias, e é integrante do Coletivo de artistas pretas e pretos TERREIRA.

Maria Macêdo

Artista Visual/Educadora/Pesquisadora/Atuante/Cantadeira. Licenciada em Artes Visuais pela Universidade Regional do Cariri (2019), Pesquisadora no projeto YABARTE- Processos Gestacionais na arte contemporânea a partir dos pensares e fazeres negros femininos, co-líder do Grupo de Pesquisa Novos Ziriguiduns (Inter)Nacionais Gerados na Arte- NZINGA. Integra os Coletivos Artivista Karetas com Prekito, Coletivo Cantando Marias (2019), o coletivo de teatro Iamís Kariris, é gestora no espaço Quebra Cultural (Juazeiro do Norte), e o coletivo de artistas pretes TERREIRA.

Charles Lessa (1993)

É artista visual. Vive em Crato, onde trabalha e cursa graduação em Artes Visuais pela Universidade Regional do Cariri (URCA). O fazer artístico é o lugar onde brinca. Cria ficções com a pintura figurativa, os zines e os cadernos. Integrante da crew bixaskipixa fabula personagens, segundo ele, “convulsivamente belas e debochadas”.

 

Sobre a Escola

A Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há oito anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: Porto Iracema promove Live com artistas 72ª edição do Salão de Abril

Quando: 07 de Abril, a partir das 19h

Onde: Canal do Youtube da Escola Porto Iracema das Artes

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Texto: Giselly Barata (estagiária), com supervisão e edição de Marina Solon (jornalista) | Publicado em 01 de Abril de 2022.