Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis apresenta Pagode Russo na MOPI8

Evento acontece no dia 1 de julho, às 19h, pelo ZOOM e com transmissão no YouTube do Porto Iracema das Artes. Após a apresentação ao vivo, teremos bate-papo dos artistas com o público

No dia 1 de julho, o coletivo Os Pícaros Incorrigíveis apresenta o espetáculo “Pagode Russo” na 8° edição da Mostra de Artes do Porto Iracema (MOPI). Neste projeto, o grupo se lança em um ”debochado devaneio pseudo-simbolista com pitadas melodramáticas para conversar com ‘A Gaivota’ de Anton Tchekhov”, de acordo com sinopse da pesquisa artística. “Queremos festejar em resistência a um tempo doente e à indecência de uma política doente. E nos perguntamos na companhia de Anton: ‘Por que seguimos criando? Por que fazer teatro?’ ou ‘Por que re(a)presentar a realidade?’ ou, ainda, ‘O que nos espera no futuro?’“, indaga o coletivo.

O evento virtual acontece a partir das 19h, na plataforma ZOOM, com transmissão ao vivo pelo YouTube do Porto Iracema das Artes, e terá acessibilidade em LIBRAS. Será uma apresentação ao vivo seguida de bate-papo. O elenco é composto por Alysson Lemos, Beto Menêis, Caleb, Daniel Rocha, Junior Barreira, Magno Carvalho e Paula Yemanjá. Já a tutoria do projeto é assinada pelo chileno “sotero-cearense” Hector Briones.

Neste processo, nas mãos da ficção e da realidade, os artistas transitam entre o Realismo e o Simbolismo com o intuito de pensar um discurso que percorra entre as histórias da cena e da Cidade.

Ambiente virtual como ”laboratório de ensaio”

O processo de construção do espetáculo, segundo Paula Yemanjá, continua para além da Mostra. Artistas de rua, Os Pícaros Incorrigíveis precisaram parar de trabalhar assim que a pandemia iniciou no Estado. ”No estilo de Teatro que a gente faz, o espetáculo também é um acontecimento, uma festa, uma celebração. Com a pandemia precisamos nos reinventar. Como a gente levaria isso para a internet?”, comenta Paula.

A entrada do grupo na Escola Porto Iracema das Artes foi importante para a adaptação à nova forma de pensar/fazer arte. Logo o coletivo estabeleceu que a Internet seria seu ”laboratório de ensaio”. E o texto escolhido para a apresentação, “A Gaivota” de Anton Tchekhov, tem tudo a ver com o momento do grupo. ”É um texto de mais de 200 anos. Fala sobre o artista, a arte, sobre as dificuldades de se trabalhar com arte, da paixão do artista pelo seu ofício.” elenca a artista.

Sob tutoria de Hector, o grupo conseguiu unir a literatura à dramaturgia. O texto, que tem quatro atos, foi desmembrado e virou um ”experimento audiovisual”. Na MOPI, o coletivo apresenta o 1° e o 3° atos. Otimista, Paula já pensa em uma outra Mostra de Artes, num cenário pós-pandemia, onde o espaço físico da Escola volte a ser ocupado: ”A gente podia fazer uma edição especial de todo mundo junto. Essa é uma expectativa. A partir dessa experiência vivida (da pandemia), reverberar, de alguma forma, para os próximos anos”, conclui.

Junior Barreira, outro integrante do coletivo, conta que pelo menos três espetáculos estão sendo montados a partir da obra de Tchekhov. Um deles, o 1° ato, já foi exposto nas Rotas de Criação, etapa anterior à MOPI que consiste numa abertura de processo das pesquisas dos Laboratórios de Criação. ”A partir das respostas das pessoas que estavam vendo, nós trabalhamos mais em cima dele, modificamos algumas coisas, buscando aprofundar o que a gente já tinha e agora vamos apresentar junto a outra parte do texto de Tchekhov”, explica.

Ficha Técnica

Artista pesquisadores: Alysson Lemos, Beatriz Benítez, Beto Menêis, Caleb, Daniel Rocha, Junior Barreira, Hector Briones, Magno Carvalho e Paula Yemanjá e Ruth Aragão.

> Pagode Russo – Ato I
“A Gaivota” de Anton Tchekhov.
Dramaturgismo: Hector Briones.
Direção: Hector Briones
Elenco: Alysson Lemos, Beto Menêis, Caleb, Daniel Rocha, Junior Barreira, Magno Carvalho e Paula Yemanjá
Direção musical: Caleb
Músicas: Beto Menêis e Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis
Arranjos: Caleb
Orientação de figurino: Ruth Aragão.
Direção e montagem audiovisual: Magno Carvalho
Captura de imagens: Alysson Lemos, Daniel Rocha, Felipe Martins e Paula Yemanjá
Animações: Magno Carvalho
Fotografias: Frames de vídeo
Produção: Paula Yemanjá e Junior Barreira

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO

O quê: Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis apresenta Pagode Russo na MOPI8
Quando: 1 de julho, quinta-feira, às 19h
Onde: Plataforma ZOOM* e canal do Youtube do Porto Iracema, gratuito e com acessibilidade em LIBRAS

*O link para participar da sala no Zoom estará disponível na bio do Instagram do Porto Iracema a partir das 18h do dia 1/07.

Equipe de Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes | Texto: Gabriela Feitosa | Supervisão: Raphaelle Batista | Publicado em 22/06/2021